Ivo S. G. Reis - Artigos, Poesias, Contos e Crônicas
Textos


(Extraído e adaptado da publicação do mesmo autor, na Comunidade Irreligiosos, em (http://irreligiosos.ning.com/profiles/blogs/segundo-resultado-parcial-da-enquete-sobre-a-existencia-de-cristo )

Enquete sobre a existência de Cristo: irreligiosos exibem segundo resultado parcial da pesquisa

A comunidade virtual denominada "Irreligiosos", realizou um pesquisa de opinião sobre a historicidade de Cristo, e após computar os votos simples e combinados (duas respostas simultâneas e não antagônicas), chegou aos totais de 385 e 527 votos, respectivamente. Segue abaixo, com uma breve introdução explicativa dos critérios de aferição, o segundo resultado parcial dessa enquete.

Convém lembrar que esses resultados refletem apenas a opinião geral dominante na Comunidade Irreligiosos e que não têm a pretensão de espelhar a verdade (que ainda não foi descoberta por inteiro) e gera controvérsias até entre historiadores, teólogos e pesquisadores, como muitos, da própria comunidade.

Evidentemente, por se tratar de uma pesquisa, ela foi feita por amostragem, mas uma amostragem considerável, onde 55% do total de membros da comunidade votou, dando a segurança de que os resultados encontrados são os do pensamento dominante entre os irreligiosos.
Religiosos e contestadores de plantão poderão alegar que a pesquisa não é válida, porque se fosse feita num site cristão os resultados seriam bem diferentes. Há que se concordar porque é o óbvio. Mas isso não invalida o trabalho, mostrando que entre pesquisadores e estudiosos, não fanatizados pelas respectivas religiões, as conclusões são bem diferentes das sugeridas pelos meios religiosos.

Quanto a dizer que "amostragem é amostragem, pode falhar e não reflete o todo", é uma balela sem qualquer fundamento. Não fossem válidos os critérios de amostragem para inferir-se o todo, não existiriam as estatísticas, as probabilidades, as pesquisas de tendência, de intenção de voto, as projeções, etc, etc.

Quebras industriais, por exemplo, são calculadas por amostragem, projetando-se para o todo e quase sempre dão certo. O critério, portanto, é aceitável e válido. Basta separar como pensam os não influenciados pelas religiões e como pensam os religiosos. Depois disso, separam-se os resultados e procura-se saber quais têm mais evidências e consistências. A balança, já sabemos para onde penderá.

Vamos aos critérios de análise: foram permitidas aos votantes (opcionalmente) duas respostas simultâneas e não contraditórias. Assim, parte das respostas foram isoladas (uma só opção) e parte combinadas (duas respostas não antagônicas e simultâneas). Responderam à pesquisa 385 membros (55% do total) e suas respostas mescladas - com uma ou duas opções - geraram 527 respostas assim distribuídas e analisadas:



Na avaliação dos resultados acima, não se pode esquecer que cerca de 7% dos membros da comunidade são, por exceção e deferência especial, religiosos das mais diversas religiões, predominando a evangélica, de onde vieram os votos favoráveis à existência do Jesus da fé. Não poderia ser diferente.

As críticas e discussões ficam por conta dos leitores. 
Ivo S G Reis
Enviado por Ivo S G Reis em 28/04/2015
Alterado em 28/04/2015
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Mencionar: Autor original: Ivo S. G. Reis; fonte: Recanto das Letras - Site do Autor - http://www.ivosgreis.prosaeverso.net). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários