Ivo S. G. Reis - Artigos, Poesias, Contos e Crônicas
Meu Diário
12/11/2018 18h51
Causa mortis: saudade

Todos têm os seus dias mais tristes e também os mais felizes. Não sei em que possa interessar a alguém saber qual foi o dia mais triste da minha vida, até porque, como continuo vivendo, poderia haver algum pior do que este 05/11/2018, o dia em que faleceu minha esposa e companheira de 50 anos, a pessoa que eu mais amei em vida (isso não mudará, tenho certeza). Nenhum amor, nenhum afeto ou companheirismo, de quem quer que seja, poderá preencher o vazio que ela deixou.

Não, não creio que possa haver para mim dia pior do que este, salvo uma grande tragédia que levasse todos os meus entes queridos, de uma só vez. Estou experimentando a morte em vida, uma morte lenta, sufocante, agoniante, torturante, que esvazia minha energia vital a cada dia - logo eu, que me julgava um forte.  Não sou, ninguém é, diante de uma perda assim.

Se em pouco tempo eu também partir e a morte for por alguma suposta doença, não acreditem no que for declarado pelos médicos (pneumonia, enfizema, parada cardíaca, insuficiência respiratória, falência múltipla de órgãos...)! Qualquer que seja a causa, será falsa. Peçam que retifiquem para: Causa mortis: Saudade! Nenhuma máquina ou profissional humano pode detectá-la.

Este era um registro que precisava ser feito.

 

 


Publicado por Ivo S G Reis em 12/11/2018 às 18h51