Ivo S. G. Reis - Artigos, Poesias, Ensaios, Contos e Crônicas
Textos


Votos Irreligiosos de Fim de Ano: Um caso Verdadeiro

Irreligiosos, agnósticos, ateus, humanistas seculares e céticos costumam ser questionados e sofrer críticas em relação ao que pensam sobre o Natal. Não são compreendidos e, por isso mesmo, evitam enviar mensagens natalinas, para não entrarem em contradição com as suas convicções (certas, erradas ou temporárias). Mas no Ano Novo eles não veem grandes problemas e costumam , aí sim, enviar seus votos para o Ano Novo, justificando-se pelas ausências das mensagens natalinas. Isso é bastante recorrente entre as pessoas desses grupos sociais.

 

 O texto padrão das minhas ficou assim:


MENSAGEM DE ANO NOVO AOS AMIGOS E FAMILIARES

Posso estar errado, eu sei, mas os que me conhecem ou conheceram, sabem que não vejo nenhum significado no Natal, que considero uma data festiva, idealizada maldosamente para provocar uma histeria coletiva que leva ao consumismo, gerando a falsa ilusão de que “é uma tradição em que se comemora o nascimento de Cristo”. Será? Qual Cristo, se existem tantos, antes mesmo do suposto nascimento do “Jesus Cristão”, que ninguém sabe ao certo onde, quando e em que circunstâncias nasceu?

Por essas e outras coisas mais, e para não contradizer as minhas convicções, que ainda não foram desmontadas (se fossem, eu as abandonaria)  ,  deixei passar o Natal e venho me dirigir agora a todos os meus amigos e familiares, do passado e do presente, para lhes dar meus votos de esperança e felicidade para o novo ano que irão enfrentar. Mas esta mensagem tardia, infelizmente, não pode contemplar os meus entes queridos que já se foram. Quero crer, porém, que eles estão lá, em algum lugar, inacessível e ainda desconhecido para nós. Para esses, fica apenas o registro, se puderem ver.

 

Quanto à página de fundo, gostaria de poder colocar as fotos de todas as pessoas que foram e são importantes em minha vida. Vocês estão, em galeria, na minha mente, na memória e no coração. Tenho certeza que sabem a quem me refiro e o que representam. Obrigado por terem participado da minha vida. E para todos vocês, aqui ou onde estiverem, deixo a mensagem abaixo, que não é minha, mas representa tudo o que penso e sinto:

 

"[...] Quisera poder armar uma árvore belíssima dentro do meu coração e nela pendurar em vez de presentes, os nomes de todos os meus amigos, de longe e de perto, os amigos antigos e os mais recentes. Os que vejo a cada dia e os que raramente encontro, os sempre lembrados e os que, às vezes, ficam esquecidos. Os constantes e os intermitentes, os das horas amargas e difíceis e os das horas boas e alegres, os que sem querer magoei ou aqueles que sem querer me magoaram, aqueles a quem conheço profundamente e aqueles de quem me são conhecidas a não ser as aparências. Os que pouco me devem e aqueles a quem muito devo. Meus amigos humildes e meus amigos importantes. Os nomes de todos os que já passaram pela minha vida. Uma árvore de raízes muito profundas para que seus nomes nunca sejam arrancados do meu coração. De ramos muito extensos para que novos nomes, vindos de todas as partes, venham juntar-se aos existentes, de sombra, muito agradável para que nossa amizade seja sempre um momento de paz e amor”. (Texto de autor desconhecido, colhido e adaptado da internet)

 

Então, é isso. A todos vocês, aos que me conhecem e me entendem; aos que me conhecem e não me entendem; aos que me conheceram  e não me entenderam, aos que conheço e tenho afinidades; aos que conheço mas tenho poucas afinidades; aos que sabem das minhas idiossincrasias e aos que não sabem, enfim aos que de alguma forma convivem e conviveram comigo, eu sou grato porque fizeram e ainda fazem parte da minha vida. Claro que também existiram os inimigos (talvez até alguns no presente). Aos que tinham razões, eu também agradeço. Aos que não tinham, alguns eu relevo, se estavam defendendo o que acreditavam; os inimigos gratuitos e sem razão alguma para tal, estes eu ignoro.

 

A todos vocês, meus votos de esperança e fé em 2022. Vamos correr em busca dos nossos objetivos, mesmo que não alcancemos todos. De ano em ano, renovando as esperanças, se o Deus Tempo deixar, chegamos lá.

 

Meu abraço fraternal a todos!

Ivo S G Reis
Enviado por Ivo S G Reis em 27/12/2021
Alterado em 16/01/2022


Comentários