Ivo S. G. Reis - Artigos, Poesias, Contos e Crônicas
Textos

                                       INCOERÊNCIA


Haverá sempre a mulher da rua querendo viver no lar;
Haverá sempre a mulher do lar querendo viver na rua.

Haverá sempre um prostituta com índole de dama;
Haverá sempre uma dama com índole de prostituta.

Haverá sempre um rico, avarento e desonesto, aumentando sua fortuna;
Haverá sempre um rico, altruísta e honesto, perdendo sua fortuna.

Haverá sempre um ator, cantor ou jogador, assediado no ápice da fama;
Haverá sempre um sábio, filósofo ou pensador por quem ninguém clama.

Haverá sempre um político corrupto, perpetuando-se no poder;
Haverá sempre um político incorrupto que não se vai reeleger.

Haverá sempre quem, podendo, não ajuda;
Haverá sempre quem, mesmo não podendo, ajuda.

Haverá sempre um “chefe” incompetente e sem valor, mantido;
Haverá sempre um subordinado, competente e de valor, despedido.

Haverá sempre o trabalhador, sem emprego, à procura de trabalho;
Haverá sempre um Mauricinho, com emprego, que não quer trabalho.

Haverá sempre o amor a quem não o merece;
Haverá sempre o desamor a quem o amor merece.

Haverá sempre charlatões, explorando a fé dos incautos;
Haverá sempre incautos com fé, defendendo os charlatões.

Haverá sempre alguém, lutando pelo que não tem;
Haverá sempre alguém, dilapidando o que tem.

Haverá sempre o mérito ignorado e submetido ao demérito;
Haverá sempre o demérito ignorado, agraciado como mérito.

Haverá sempre INJUSTIÇA, onde deveria haver JUSTIÇA;
Haverá sempre uma INJUSTIÇA, que nem deveria existir.

HAVERÁ SEMPRE, HAVERÁ SEMPRE, HAVERÁ SEMPRE...
                                       INCOERÊNCIA


Ivo S G Reis
Enviado por Ivo S G Reis em 10/01/2008
Alterado em 10/01/2008


Comentários