Ivo S. G. Reis - Artigos, Poesias, Contos e Crônicas
Perfil
Profissão principal: Auditor Fiscal da Receita Estadual (aposentado)
Profissões secundárias: Consultor independente de empresas; desenvolvedor autônomo de softwares; escritor amador e "ghost writer", quando as circunstâncias e o tempo permitem; administrador de sites de debates e redes sociais.
 
Sobre mim: Apenas um livre-pensador humanista e agnóstico, de espírito libertário, ambientalista de coração e de carteirinha, escritor amador e às vezes "ghost writer", filósofo de rua e cidadão do mundo, à procura de vozes que queiram fazer coro contra a devastação da natureza, contra a corrupção política, contra a exploração do cidadão pelo Estado e contra o proselitismo e fanatismo religioso que as igrejas impõem aos incautos, cegando-os, iludindo-os, explorando-os e escravizando-os.

Já fui cristão (católico), racionalista cristão, rosacruz, espírita e até umbandista. Evangélico?!!! Nem no tempo em que cria em Deus. Hoje, amadurecido, valeu o aprendizado: não possuo religião e não creio em Cristo, milagres, no Deus dos cristãos nem de outras religiões, o que não significa que, um dia, não possa mudar de ideia, se fortes argumentos me autoconvencerem, como agnóstico que sou. Não vejo muitas possibilidades nisso, mas o amanhã é o amanhã.

Gosto do debate esclarecedor e, por isso, mantive experimentalmente, por mais de dez anos, três blogs ("Debata, Desvende e Divulgue!", "Formou? Disseca e Publica!" e "Botequim Filosófico Virtual" )sobre assuntos do meu interesse, duas redes sociais (Irreligiosos e Observatório Político Brasileiro) e dois fóruns: um ecológico ("Debatendo a Ecologia...") e outro filosófico ("Café Filosófico Virtual"), onde expunha minhas idéias, deixando-as abertas ao livre debate entre os assinantes e visitantes, mas sem qualquer incitamento ao fanatismo, sectarismo ou ofensas pessoais. Muito aprendi, em todos eles. Debates, colaborações e opiniões de todos os tipos fizeram-me amadurecer intelectualmente e aprimorar a minha formação de juízos. Com eles, fortaleci meu sintecletismo, que continuo usando no da a dia.

Atualmente, resolvi fazer uma nova graduação e curso o último ano de filosofia (uma paixão antiga), para continuar me dedicando e aprofundando nos assuntos que me apaixonam e que não receberam de mim, por imposições profissionais, a atenção que mereciam. Pago, assim, uma dívida de consciência.
 
Se não gostarem dos meus textos, de caráter filosófico, anárquico e/ou (ir)religioso, apenas ignorem-nos.

Obrigado pela visita!